Sarney se irrita ao falar em demissões de diretores

Portal Terra

BRASÍLIA - O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), se irritou nesta terça-feira ao ser mais uma vez questionado por jornalistas sobre os problemas administrativos da Casa.

Indagado a respeito das demissões de diretores que ocupam o cargo de forma irregular, Sarney jogou a responsabilidade sobre o caso para o primeiro secretário Heráclito Fortes (DEM-PI) e afirmou que não é o "gestor" do Senado, apesar de ser o presidente da Casa. - Esses assuntos todos relativos à área administrativa vocês procurem o primeiro secretário, é função dele dar todas as informações necessárias aos senhores. Eu não tenho essa função de gestor da Casa - afirmou.

O presidente também evitou responder perguntas sobre a mais nova denúncia de irregularidade dentro do Senado: a informação de que o Senado abriga "assessores virtuais" que não possuem sequer gabinete para trabalhar.

Segundo reportagem veiculada na segunda-feira no Jornal Nacional, a estrutura do Senado abriga: o presidente, dois vices e quatro secretários e existem ainda 12 cargos comissionados ocupados por pessoas nomeadas sem concurso.

De acordo com a reportagem, o gasto com esses comissionados, nas quatro secretarias, fica em R$ 360.650,96 por mês. - Eu não sei desse assunto, não conheço esse assunto, não posso opinar sobre ele. Se tiver alguma coisa errada, deve ser desfeita - limitou-se Sarney ao comentar o assunto nesta terça-feira.

Questionado sobre a pauta do Senado que anda travada sem votações por causa da onda de denúncias de corrupção, o presidente, mesmo sem admitir o problema, garantiu que nesta tarde a pauta será definida em uma reunião de líderes.