Com setor próprio, Senado terceiriza digitação de discursos

Portal Terra

BRASÍLIA - O Senado fechou um contrato no valor de R$ 2,25 milhões por ano para custear os trabalhos de estenotipia (digitação informatizada) mesmo com quatro diretores no Setor de Taquigrafia e um contingente de 100 profissionais concursados. Os trabalhos de digitação informatizada foram contratados para serem usados nas reuniões promovidas pelas 11 comissões permanentes, as duas comissões parlamentares de inquérito em funcionamento e as comissões especiais e externas da Casa. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

A empresa Steno do Brasil Importação, Exportação, Comércio e Assessoria Ltda fechou contrato com o Senado em janeiro de 2006. O término está previsto para 1º de janeiro de 2010. Segundo o jornal, são até R$ 187.500,00 mensais gastos com funcionários terceirizados para registrar as declarações dos parlamentares, apesar de o Senado contar com 100 taquígrafos concursados em seus quadros.

O responsável pelo escritório da Steno do Brasil, em Brasília, Alexandre Almeida, afirmou que o serviço consiste em degravar o áudio gravado nas sessões das comissões. Segundo ele, o Senado paga por hora trabalhada, limitadas a 300 horas por mês, o que daria R$ 187.500,00 mensais. No entanto, ele afirmou que, em um mês, nunca chegam a ser usadas as 300 horas.

A Secretaria de Taquigrafia foi uma das que teve seus diretores exonerados, na semana passada, em uma ação para cortar gastos no Senado, após denúncias contra a administração da Casa. Dos 181 diretores, 50 foram exonerados.