Advogado de defesa contesta laudo da morte de Isabella

Portal Terra

SÃO PAULO - O advogado de defesa do casal Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá voltou a contestar diversos pontos dos laudos da perícia sobre a morte da menina Isabella. Marco Polo Levorin afirmou, entre outros itens, que a menina morreu por causa da queda e, se houve asfixia, foi por embolia gordurosa, também provocada pelo impacto, e não por esganadura.

A 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo julga um recurso da defesa do casal que pede a anulação de decisão que leva os dois a júri popular. Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá são acusados de matar a filha do primeiro, a menina Isabella, 5 anos, no dia 29 de março do ano passado.

A criança foi encontrada ferida no jardim do prédio onde moravam o pai e a madrasta, na zona norte de São Paulo. Segundo os Bombeiros, a menina chegou a ser socorrida e levada ao Pronto-Socorro da Santa Casa, mas não resistiu aos ferimentos e morreu por volta da 0h. O inquérito policial apontou que ela foi agredida, asfixiada e jogada do sexto andar do edifício.

A Turma Julgadora do recurso é integrada pelos desembargadores Luis Soares de Mello, Euvaldo Chaib e desembargador Salles Abreu. O casal foi denunciado no dia 6 de maio do ano passado.