Conferência de Direitos do Idoso é aberta sem a presença de Lula

Mariana Jungmann, Agência Brasil

BRASÍLIA - Foi aberta nesta quarta-feira, em Brasília, a 2ª Conferência Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa. Com a participação de 650 pessoas, entre delegados eleitos em prévias municipais e convidados. A conferência irá discutir até esta sexta-feira, as alterações e os acréscimos na política de assistência às pessoas com mais de 60 anos.

A ausência do presidente Lula na cerimônia de abertura do evento foi bastante sentida pelos participantes presentes. Os ministros Paulo Vannuchi, da Secretaria Especial de Direitos Humanos (SEDH), José Gomes Temporão, da Saúde, e José Pimentel, da Previdência Social, representaram o governo.

Vannuchi justificou a ausência do presidente Lula, afirmando que ele estava tratando de assuntos relacionados à crise econômica mundial e ao pacote habitacional que será lançado nos próximos dias. Em discurso, Vanucci lembrou alguns fatos relacionados à política de direitos humanos do governo federal e disse que a conferência vai avaliar as ações relacionadas aos idosos.

- O Estatuto do Idoso se tornou, desde 2003, um marco dos avanços nas políticas para as pessoas com mais de 60 anos. Depois tivemos a 1ª Conferência [Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa], em 2006, e esta, que começa agora, que vai avaliar os avanços dos últimos dois anos - disse.