TJ nega recurso de Lindemberg para anulação de júri popular

Portal Terra

SÃO PAULO - O Tribunal de Justiça de São Paulo negou, por dois votos a um, o pedido de anulação da decisão de levar Lindemberg Alves a júri popular. Ele é acusado de matar sua ex-namorada, Eloá Pimentel, depois de tê-la mantido refém por mais de 100 horas, em outubro do ano passado, em Santo André, região do ABC.

De acordo com o TJ, ainda não há data para o julgamento de Lindemberg e, apesar da decisão, sua defesa ainda tem a possibilidade de entrar com recurso no Supremo Tribunal Federal (STJ).

Lindemberg está preso desde o desfecho do crime. Nesta semana ele foi ouvido para esclarecer possíveis erros e excessos cometidos pela polícia.

Ele responde por homicídio, cárcere privado, disparo de arma de fogo e tentativa de homicídio.

O crime

Lindemberg é acusado fazer Eloá refém no apartamento da família dela. O imóvel foi invadido na tarde do dia 13 de outubro do ano passado. A adolescente estava no local com a amiga Nayara e os colegas de escola Iago e Victor. Os meninos foram liberados naquela noite, e Nayara, no dia seguinte, após 33 horas.

Nayara retornou ao cativeiro no dia 16, onde permaneceu até o desfecho do seqüestro. A ação terminou com as duas meninas baleadas, em 17 de outubro. Eloá teve morte cerebral confirmada dois dias depois.