Sindicância vai investigar nepotismo disfarçado no Senado

Agência Brasil

BRASÍLIA - O corregedor-geral do Senado, Romeu Tuma (PTB-SP), pediu hoje a abertura de sindicância para investigar a denúncia de que diretores da Casa estariam contratando parentes por meio de empresas terceirizadas.

Ontem, o primeiro-secretário da Casa, Heráclito Fortes (DEM-PI), pediu uma lista com os nomes de todos os servidores terceirizados que prestam serviço ao Senado.

O pedido para a elaboração desta lista, com nomes, salários e outras informações foi encaminhado ao diretor-geral da Casa, Alexandre Gazineo. Heráclito também determinou o afastamento de funcionários de empresas prestadoras de serviço que sejam parentes de servidores do quadro permanente. O parlamentar afirmou que essa foi a primeira medida para coibir esse tipo de nepotismo disfarçado.