MP denuncia mais 6 PMs acusados de extermínios em SP

Portal Terra

SÃO PAULO - O Ministério Público ofereceu à Justiça, na tarde desta segunda-feira, denúncia por duplo homicídio contra seis policiais militares do 37º Batalhão da PM, acusados de integrarem um suposto grupo de extermínio que atua em Itapecerica da Serra, na Grande São Paulo.

Na semana passada, outros quatro PMs haviam sido denunciados, por crime cometido nas mesmas circunstâncias. A promotoria também pediu a decretação da prisão preventiva dos policiais.

Segundo o MP, foram denunciados nesta segunda-feira os PMs Jorge Kazuo Takiguti, João Bernardo da Silva, Marcos Aurélio Pereira Lima, Ronaldo dos Reis Santos, Rodolfo da Silva Vieira e Jonas Santos Bento. As investigações apontaram que os seis policiais militares, na madrugada do dia 6 de maio de 2008, mataram Roberth Sandro Campos Gomes, conhecido por "Maranhão", e Roberto Aparecido Ferreira, o "Bebê".

De acordo com o MP, as duas vítimas foram abordadas pelos PMs Takiguti e Bernardo em uma avenida do Jardim Imbé, em São Paulo. De forma ilegal e arbitrária, ambos foram obrigados a embarcar na viatura e levados até Itapecerica da Serra. Lá os PMs Takiguti e Bernardo e seus quatro colegas teriam matado dois. Em seguida, os policiais teriam feito um corte na barriga de Gomes e decepado as cabeças dos cadáveres, a fim de dificultar seu reconhecimento. Os corpos das vítimas foram abandonados em um córrego próximo.

Segundo a denúncia, Roberth Sandro Campos Gomes e Roberto Aparecido Ferreira foram executados porque supostamente estavam envolvidos com tráfico de drogas e fariam parte de uma facção criminosa.

Outros sete policiais e um comerciante ainda são investigados pelo suposto envolvimento no grupo. Segundo o MP, ainda não foram encontradas provas suficientes de sua participação nos homicídios.