TO: Viúva diz que corpo de marido foi trocado antes de enterro

Portal Terra

SÃO PAULO - A viúva Sebastiana Cunha desconfia que o corpo do marido tenha sido trocado antes do enterro em Araguanã, a 500 quilômetros de Palmas, no Tocantins. Amigos e parentes também estranharam o peso e o tamanho do caixão que não era compatível com as medidas do lavrador José Barbosa, de 44 anos. As informações foram divulgadas pelo Jornal da Globo.

O caixão chegou a ser aberto, mas ninguém reconheceu o cadáver.

- O que a gente estava esperando é alto, moreno, do cabelo ruim. E esse que está aí é do cabelo bom, e ele é mais claro - disse a lavradora Lúcia Janete da Silva.

Amigos lembram que o caixão foi entregue pelo funcionário de uma funerária que funciona na cidade vizinha. Ao dizerem que o corpo não era do lavrador, o homem deixou o caixão no meio da rua.

O Hospital de Doenças Tropicais da cidade informou que Barbosa foi internado com suspeita de tuberculose e que, após o óbito, médicos aconselharam a lacrar o caixão. Ainda de acordo com a unidade, o corpo não foi reconhecido porque o lavrador cortou a barba e os cabelos durante a internação.