Minc: combate à pecuária ilegal na Amazônia será prioridade em 2009

Agência Brasil

BRASÍLIA - As ações prioritárias do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e do governo na Amazônia em 2009 serão o combate ao gado e à madeira pirata. Foi o que garantiu hoje o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, durante a abertura da reunião de planejamento das ações para este ano.

Segundo Minc, além de agilizar os leilões dos bois piratas, o ministério vai fechar um acordo até o fim do mês com o setor da pecuária para fazer o 'pacto da carne legal e sustentável na Amazônia', no mesmo modelo em que já foi feito com a madeira e soja. O objetivo é promover a produção, o uso e o consumo sustentável desses produtos da floresta amazônica. O ministro afirmou que a pecuária é a responsável pela consolidação do desmatamento na região.

- É guerra total contra o desmatamento. A gente vai intensificar tanto o combate direto aos criminosos quanto a legalização, o planejamento e a questão territorial - disse.

Participaram da reunião superintendentes do Ibama, secretários de meio ambiente estaduais, representantes do Instituto Chico Mendes, da Polícia Federal, Força Nacional e comandantes de batalhões de meio ambiente.

O ministro anunciou ainda que, em breve, serão incluídos oito municípios na lista dos 36 maiores desmatadores. Ele não quis adiantar de quais estados seriam essas cidades. Os prefeitos dessas localidades vão se reunir com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva no início de abril, informou Minc.

Até abril, o ministério também quer ajuizar mais 60 ações contra criminosos ambientais. Em setembro, o ministério anunciou uma lista com os 100 maiores desmatadores da Amazônia. - Sem essas ações, o desmatamento cresce, a gente não cumpre a meta de clima e seria uma desmoralização internacional - avaliou Minc.