População brasileira tem 'medo' de espionagem, diz Sarney

Portal Terra

BRASÍLIA - O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP),disse nesta segunda-feira que a sociedade vive com "medo" por causa de investigações que extrapolam o âmbito legal e invadem a vida das pessoas. Ele criticou os "excessos" observados atualmente no País e defendeu que os órgãos investigativos atuem seguindo os "estritos limites da lei".

O presidente determinou que seja aberta uma sindicância para apurar a denúncia de que o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) seria vítima de espionagem.

- Nós atravessamos um período muito difícil nesse sentido e tivemos muitos excessos, dando a impressão e, até mesmo, criando na população brasileira um certo medo a respeito de ações que extrapolassem a parte legal e ferissem o estado de direito - disse Sarney.

Para exemplificar sua opinião, o senador usou uma frase na qual voltou a criticar os "excessos".

- Essa é uma preocupação permanente. Quero até lembrar uma frase antiga: 'o preço da liberdade é a eterna vigilância'. O preço do estado de direito é, realmente, o permanente controle da sociedade e de todos nós. Para que ele possa existir, não devemos dormir, no sentido de vigiar cada dia, porque isso é a garantia de liberdade do cidadão - afirmou Sarney.

Em encontro com o diretor da Polícia Federal (PF), Luiz Fernando Correa, nesta segunda-feira, Sarney falou sobre sua insatisfação com a atual situação.

- Estive hoje com o diretor da PF e tive oportunidade de dizer a ele do propósito de colocar a polícia dentro dos estritos limites da lei e do estado de direito - disse o senador.

Sarney seguiu para um encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Palácio do Planalto, mas não quis adiantar qual será a pauta da reunião que deverá contar ainda com a presença do presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP).