PMs acusados de decapitações são indiciados em SP

Portal Terra

SÃO PAULO - A Polícia Civil de São Paulo concluiu um dos relatórios das investigações referentes aos homicídios de quatro rapazes decapitados no ano passado, em Itapecerica da Serra, Grande São Paulo, atribuídos a um grupo de extermínio formado por policiais militares. Em um dos inquéritos relatados à Justiça, nesta segunda-feira, foram indiciados nove PMs. Em um outro inquérito que ainda investiga supostos ataques do grupo, cinco policiais podem ser indiciados.

Os PMs mantidos no Presídio Militar Romão Gomes, na zona norte da capital paulista, foram indiciados pela morte de um deficiente mental. O relatório aponta que o grupo agia como um esquadrão da morte. Pelo duplo homicídio e decapitação de Roberth Sandro Campos Gomes e Roberto Aparecido Ferreira outros cinco PMs podem ser indiciados.

No dia 27 de fevereiro, outros três policiais militares foram presos sob suspeita de envolvimento em um grupo de extermínio que atuava na região do Capão Redondo e Jardim ngela, na zona sul paulistana.

De acordo com a SSP, com essas prisões, são 16 suspeitos detidos desde o início das investigações. Entre os presos, estava também um comerciante, suspeito de ajudar no sequestro e na morte das vítimas.

Os agentes foram detidos na delegacia seccional de Taboão da Serra, na região metropolitana.