OAB quer controle externo da Polícia Federal

JB Online

BRASÍLIA - O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Cezar Britto, defendeu a criação de um órgão de controle externo da Polícia Federal, em nota divulgada nesta segunda-feira (9), na qual pede uma apuração rigorosa das denúncias contra o delegado Protógenes Queiroz, que teria bisbilhotado de forma ilegal além do presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes outras autoridades, como a ministra Dilma Rousseff, chefe da Casa Civil, e o governador de São Paulo, José Serra. Para o presidente da OAB, a denúncia de múltiplos grampos ilegais atribuídos ao delegado, em reportagem da revista Veja, excede as mais pessimistas estimativas de agressão e afronta ao Estado democrático de direito .

Cezar Britto afirma que os fatos são gravíssimos, e exigem do Poder Público investigação rigorosa e responsabilização penal exemplar . E lembra que, há muito, a OAB clama contra o Estado de bisbilhotice que se instalou no Brasil e o declara incompatível com os princípios da Constituição Federal em vigor .

Ainda de acordo com o presidente da OAB, os fatos configuram transgressão ética, moral e política que quando praticada contra as mais altas autoridades do país põe em insegurança toda a cidadania . E conclui: Urge, pois, que se prorrogue a CPI dos Grampos, na Câmara dos Deputados, e que se investigue a fundo a denúncia publicada, cuja gravidade nos coloca diante de um escândalo institucional intolerável e sem precedentes em sua extensão .