Temer quer convocar CPI para avaliar "caso Protógenes"

Portal Terra

TERRA - O presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer (PMDB-SP), informou, por meio de sua assessoria, que quer se reunir com os integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Escutas Telefônicas Clandestinas (CPI dos Grampos) no início da próxima semana. Ele quer analisar a divulgação, pela revista Veja, do material que teria sido recolhido pela Polícia Federal num laptop e num pen drive do delegado Protógenes Queiroz.

De acordo com a reportagem, Protógenes, que esteve no comando da operação Satiagraha, teria espionado ilegalmente a vida de diversas autoridades, como a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), além de senadores e deputados.

A assessoria do presidente da CPI dos Grampos, deputado Marcelo Itagiba (PMDB-RJ), informou que os documentos citados pela revista ainda não foram vistos por ele, pois teriam chegado a Brasília no final da tarde de quinta-feira e o deputado já teria ido para o Rio de Janeiro.

Conforme a assessoria, Itagiba havia solicitado à Justiça o compartilhamento do material, após o vazamento da investigação que corria em segredo de Justiça. Itagiba trabalha com a possibilidade de pedir a prorrogação da CPI, que estava prevista para terminar no próximo dia 15.

De acordo com a assessoria de Itagiba, o parlamentar orientou que o material fosse lacrado e colocado no cofre, pois ele o abriria na terça-feira com o relator da CPI, Nelson Pellegrino (PT-BA), quando a comissão voltaria a discutir o relatório. Segundo a assessoria do parlamentar, a revista teve acesso à informação antes de ela chegar a Brasília, pois a reportagem teria procurado o deputado na manhã de quinta-feira dizendo que já tinha acesso ao material.

Pedido de indiciamento

Na última quarta-feira, Pellegrino apresentou o relatório final da CPI. Ele pediu o indiciamento de uma delegada, quatro policiais e um detetive particular, pela realização de interceptações telefônicas ilegais. Por discordar dos pedidos de indiciamentos, Itagiba, conforme sua assessoria, irá apresentar na próxima terça-feira um voto em separado pedindo para que Protógenes, Paulo Lacerda (ex-diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência e ex-diretor da Polícia Federal), José Milton Campana (diretor-adjunto afastado da Abin) e o banqueiro Daniel Dantas sejam indiciados por falso testemunho à CPI.

Os depoimentos de Lacerda; do agente de inteligência da Abin Márcio Seltz, envolvido na operação que investigou Dantas; do delegado Protógenes Queiroz, de Campana, do diretor de Inteligência da PF Daniel Lorenz; e do presidente da Associação Nacional de Servidores da Abin, Nery Kluwe e de Dantas foram remetidos pelo relator ao Ministério Público por suspeitas de falso testemunho. Pellegrino afirmou que há divergência entre as falas deles, mas nada que sugira necessidade de indiciamento.