TCU deve investigar repasse de verbas oficiais ao MST

Portal Terra

BRASÍLIA - O Tribunal de Contas da União (TCU) deve investigar os repasses de verbas oficiais ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). O órgão determinou uma varredura nos convênios da União com entidades como a Associação Nacional de Cooperação Agrícola (Anca) e a Confederação das Cooperativas de Reforma Agrária (Concrab), criadas para receber os repasses. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

Como o MST, criado em 1984, não tem CNPJ, não pode receber recursos públicos diretamente. Para isso, foram criadas entidades como a Anca e a Concrab. O objetivo do TCU é tentar localizar dirigentes e endereços comuns ao movimento e às entidades que recebem as verbas.

Em 2001, o então presidente Fernando Henrique Cardoso editou uma MP (medida provisória) que proíbe o repasse de verbas a entidades que participem de invasões de terras. O MST nega usar recursos de convênios para financiar invasões.