Corregedoria do TJ-MT averigua desvio para Maçonaria

Portal Terra

CUIABÁ - Segundo relatório da Corregedoria do Tribunal de Justiça do Mato Grosso vários indícios apontam que o material usado na construção do Fórum de Cuiabá foi desviado para as obras realizadas no templo da Maçonaria GOE (Grande Oriente do Estado). A entidade é administrada por desembargadores, que segundo o relatório, já estariam envolvidos em outro esquema de desvio em uma cooperativa de crédito conveniada com a maçonaria. As informações são do jornal Folha de São Paulo.

O relatório indica que foram desviados milhares de toneladas de material em pelo menos três ocasiões, além de terem sido compradas quantidades superiores ao necessário.

Segundo a Folha, o TJ pagou por 12,8 mil m² de cobertura asfáltica e usou 6.715 mil m².

Segundo o relatório, a movimentação financeira do templo maçônico, de acordo com dados da Receita Federal, não seria compatível com o tamanho da obra.