Líder do PSDB representará contra Luciana Genro por denúncias

Portal Terra

SÃO PAULO - O líder do PSDB na Câmara dos Deputados, José Aníbal (SP), afirmou que entrará com uma representação no Conselho de Ética contra a deputada Luciana Genro (Psol-RS). Na quinta-feira, ela, o vereador de Porto Alegre Pedro Ruas e o presidente estadual do Psol, Roberto Robaina, levantaram nove suspeitas contra o governo Yeda Crusius (PSDB), do Rio Grande do Sul, sem apresentar provas. A informação é da Folha de S.Paulo.

Os membros do Psol garantiram que áudios, vídeos e depoimentos, que estariam sendo analisados pelo Ministério Público Federal (MPF), apontariam que há uma "quadrilha" dentro do Palácio Piratini, que se utilizou de caixa 2 para chegar ao poder e que utiliza verbas públicas para satisfazer interesses particulares. A força-tarefa do MPF responsável pela Operação Rodin, no entanto, negou as informações.

O ex-secretário estadual da Fazenda Aod Cunha, que foi acusado de estar em um vídeo que mostra a captação de R$ 500 mil com uma empreiteira e com empresas tabagistas, entrou na Justiça para obrigar o partido a provar as denúncias.

- São acusações absolutamente falsas. Se o Psol não apresentar provas em cinco dias, entraremos com uma ação criminal contra os dirigentes- afirmou o advogado de Cunha, Gabriel Magadan.

A deputada Luciana Genro disse que vai apelar para a "exceção da verdade", que permite ao delator ter acesso a provas judiciais para comprovar as acusações.

- Posso alegar a exceção da verdade para apontar onde estão as provas e requerer os vídeos que estão na Justiça Federal- explicou.

O PT no Rio Grande do Sul disse que também pedirá à Justiça acesso aos dados referentes à denúncia.