Desabamento de prédio construído por Naya completa 11 anos no domingo

Agência Brasil

BRASÍLIA - O empresário Sérgio Naya, que morreu nesta sexta-feira em um hotel em Ilhéus (BA), ficou conhecido nacionalmente após o desabamento do edifício Palace 2, no Rio de Janeiro, que deixou oito mortos e 120 famílias desabrigadas. A tragédia completa 11 anos no próximo domingo, dia 22 de fevereiro. A maior parte das vítimas ainda não recebeu indenização.

O laudo técnico apontou erros de cálculo na construção do prédio e uso de materiais de construção de baixa qualidade pela construtora Sersan, de propriedade do empresário.

Naya respondia por mais de 100 processos judiciais. O empresário chegou a ficar preso por 106 dias, acusado de falsidade ideológica e falsificação de documentos públicos, e mais 27 por causa do desabamento, mas foi absolvido no processo que o responsabilizava pela morte dos oito moradores.

O engenheiro foi condenado a pagar R$ 60 milhões em indenizações às famílias e teve todos os bens bloqueados. No entanto, a quantia arrecadada em leilões de algumas propriedades do empresário foi suficiente para pagar menos de 20% do valor devido.

Naya foi deputado federal por Minas Gerais por três mandatos: dois pelo PMDB (1987-1991 e 1991-1995) e um pelo PP (1995-1999).