Tarso nega vazamento de grampo de Sarney e filho

Portal Terra

BRASÍLIA - O ministro da Justiça, Tarso Genro, negou nesta terça-feira que a Polícia Federal tenha vazado qualquer informação relacionada aos supostos grampos que teriam sido feitos nos telefones do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), e do filho dele, Fernando Sarney. - Eu não sei se o presidente Sarney foi grampeado. Eu vi uma divulgação da interceptação - disse o ministro.

- De lá (da PF), não sai, e de lá não saiu, se é que essa gravação existe - complementou.

O ministro sinalizou que em processos onde os advogados têm acesso a todas as informações, inclusive as consideradas sigilosas referentes a escutas, fica difícil se controlar o vazamento.

Tarso Genro respondia a questões relativas a reportagens publicadas recentemente. Nas matérias, estariam Sarney e o filho flagrados por uma escuta legal ao falar sobre a possibilidade de empresas de comunicação da família estarem preparando conteúdo para atacar integrantes da política maranhense pertencentes ao grupo do atual governador, Jackson Lago (PDT), rival político de Sarney.

Há ainda a informação de que uma escuta da PF teria gravado os dois ao conversar sobre a possibilidade de receberem informações privilegiadas da Agência Brasileira de Inteligência (Abin).