Sobrevivente: combustível adulterado pode ter provocado queda de avião

Agência Brasil

MANAUS - O uso de combustível adulterado pode ter causado o acidente com o avião Bandeirante que caiu no Rio Manacapuru no último sábado, próximo ao município de Manacapuru, no Amazonas. Ana Lúcia Laurea uma das quatro pessoas que sobreviveram ao desastre com a aeronava, que transportava 28 pessoas disse que viu uma das hélices do avião parar antes da queda. - A hélice parou 15 minutos antes de chegar a Manaus. Aí, o avião perdeu altitude e a gente sentiu o impacto na água - contou.

Segundo o major Washington Jorge, do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), esse fato pode ter ocorrido por causa do combustível. Essa hipótese, acrescentou, será analisada pelos peritos. - Vamos tirar uma amostra do combustível, pois quando há adulteração é comum o motor parar - lembrou.

Em relação ao sobrepeso, também apontada como uma das possíveis causas do acidente, o major disse que ainda faltam elementos para uma conclusão. - Há possibilidade de ter havido excesso de peso, mas ainda é preciso analisar a quantidade de combustível, peso dos passageiros e das bagagens - ressaltou.

A empresa Manaus Aerotaxi, proprietária do avião, divulgou uma cópia do manifesto de carga preenchido pelo piloto, uma espécie de relatório sobre bagagens e passageiros. No documento, consta que havia 26 pessoas a bordo, enquanto a contagem total dos mortos e sobreviventes mostra que, na verdade, eram 28. A aeronave tinha capacidade para levar, no máximo, 20, com mais algumas crianças de colo.