Mantida prisão de piloto acusado de jogar cocaína em fazenda

JB Online

BRASÍLIA - A ministra Ellen Gracie, do Supremo Tribunal Federal (STF), indeferiu o pedido liminar em habeas corpus impetrado em favor do piloto G.R., preso em flagrante em 1º de julho de 2007, em Marechal Rondon (PR), após ser flagrado jogando 48 quilos de cocaína da aeronave por ele pilotada em uma propriedade rural localizada no município de Rosário Oeste, em Mato Grosso.

Segundo a ministra, o crime de tráfico ilícito de drogas não admite a concessão de liberdade provisória. Em sua decisão, ela cita diversos precedentes do STF nesse sentido e acrescenta que primariedade, bons antecedentes, residência fixa e profissão lícita são circunstâncias que, por si sós, não afastam a possibilidade da [prisão] preventiva .

Ellen Gracie afirma ainda que as razões da decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) para manter a prisão do piloto mostram-se relevantes e, num primeiro exame, sobrepõem-se aos argumentos lançados no habeas corpus .

O pedido ainda será julgado em definitivo pela Segunda Turma do STF. Não há previsão de data.