Psol deve propor voto aberto para eleição de novo corregedor da Câmara

Agência Brasil

BRASÍLIA - O Psol deve apresentar amanhã uma proposta para que a eleição do corregedor da Câmara dos Deputados seja pelo voto aberto. Em nota, o partido defende também que a função seja desvinculada da 2ª Vice-Presidência da Casa.

Proposta semelhante, do deputado Raul Jungmann (PPS-PE), prevê que a Corregedoria seja autônoma e desvinculada da Mesa Diretora. A idéia é que o órgão responsável por julgar denúncias contra parlamentares tenha status semelhante ao da Procuradoria Parlamentar e da Ouvidoria da Casa.

Eleito na semana passada como 2º vice-presidente, o deputado mineiro Edmar Moreira (DEM) renunciou ontem ao cargo após denúncias de que não teria declarado ao Imposto de Renda um castelo de sua propriedade no valor de R$ 25 milhões. Ele também é acusado de ter dívidas com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Para o Psol, o critério para postulação do corregedor deve ser o da 'moralidade pública reconhecida e notória independência, e não pela proporcionalidade partidária'.

Moreira disputou o cargo de 2º vice-presidente em desacordo com o seu partido, o Democratas (DEM), que tinha, devido ao critério da proporcionalidade, direito à vaga. Em candidatura avulsa, Moreira venceu o candidato oficial do DEM, Vic Pires Franco (PA).

Com a renúncia, o partido deve se reunir amanhã para decidir se mantém a indicação de Vic Pires (PA) para o cargo. O DEM já havia pedido a renúncia do deputado mineiro e promete levar o caso à Comissão de Ética da legenda.