MP denuncia 14ª pessoa por cratera do Metrô de SP

Portal Terra

SÃO PAULO - O Ministério Público de São Paulo denunciou nesta segunda-feira o 14º envolvido, entre membros do Metrô e do Consórcio Via Amarela, por responsabilidade no acidente que matou sete pessoas após o desabamento das obras da futura estação Pinheiros, em janeiro de 2007.

Celso da Fonseca Rodrigues, ex-gerente do Consórcio Via Amarela, foi denunciado pelo promotor criminal Arnaldo Hossepian Júnior também por homicídio culposo.

Em janeiro, outros 13 indiciados respondem por homicídio culposo (sem intenção de matar). A Justiça decidirá se acontecerá o mesmo com o novo denunciado.

No dia 12 de janeiro de 2007, um desabamento, por volta das 15h, atingiu as obras de expansão do Metrô de São Paulo, junto à estação Pinheiros. Uma cratera de 30 m de profundidade e 80 m de diâmetro foi aberta na rua Conselheiro Pereira Pinto, próximo à avenida Nações Unidas. Pedestres, caminhões e carros caíram na cratera, onde sete pessoas morreram.

Por meio de nota, o Consórcio Via Amarela afirma que "vê com serenidade a denúncia do Ministério Público e entende que a Justiça é o foro imparcial e adequado para julgar o caso após a apresentação de provas documentais, materiais e testemunhais que serão feitas oportunamente".