Defesa inicia debate sobre Estratégia Nacional de Defesa

JB Online

SÃO PAULO - O secretário de Ensino, Logística, Mobilização, Ciência e Tecnologia (SELOM), do Ministério da Defesa, general José Elito Carvalho Siqueira, discutiu nesta segunda-feira, com alguns representantes do setor de indústria, a Estratégia Nacional de Defesa, aprovada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em dezembro último.

O decreto que aprovou a Estratégia Nacional de Defesa determina aos órgãos da administração federal que considerem, em seus planejamentos, ações destinadas ao fortalecimento da Defesa Nacional.

A reunião foi no Departamento da Indústria de Defesa da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), em São Paulo. Durante o encontro, presidido pelo diretor do Departamento da Indústria de Defesa, Jairo Cândido, o general Elito falou sobre a importância da integração logística entre as Forças e as metas a serem atingidas com a Estratégia Nacional de Defesa. Entre os assuntos tratados, a criação do Comitê da Aeronáutica e o processo de aquisição das aeronaves (MI-35M). Ainda foi apresentado ao general o resultado da pesquisa sobre a inteligência comercial para a área da defesa.

O diretor de Logística, brigadeiro Odil Martuchelli Ferreira, acompanhou os debates ao lado do general Elito. Também estavam presentes à reunião, o diretor do Centro de Logística da Aeronáutica, brigadeiro Edgard de Oliveira Júnior; o diretor adjunto do Departamento da Indústria de Defesa, Fernando Botelho; o representante do Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior, Ricardo Martins, e o diretor da Associação das Indústrias Aeroespaciais do Brasil, o engenheiro Walter Bartels.

A Estratégia Nacional de Defesa estabelece diretrizes e ações de médio e longo prazo, divididas inicialmente em 23 itens, que têm o objetivo de reformular e dinamizar o setor de defesa do país. As propostas deverão ser apresentadas até dezembro de 2009. A Estratégia pretende modernizar a estrutura nacional de defesa atuando em três eixos estruturantes: reorganização das Forças Armadas, reestruturação da indústria brasileira de material de defesa e política de composição dos efetivos das Forças Armadas.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais