Após caso do castelo, DEM confirma expulsão de deputado

Marina Mello, Portal Terra

BRASÍLIA - O presidente nacional do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ), confirmou nesta segunda-feira que o partido vai mesmo decidir pela expulsão do deputado Edmar Moreira (DEM-MG) da legenda por causa das denúncias que pesam sobre ele desde que foi eleito segundo vice-presidente da Câmara. Ele é acusado de não ter declarado um castelo avaliado em até R$ 25 milhões.

Após o desgaste de ter construído o castelo de 36 suítes em uma área de 7 mil m², Moreira renunciou ao cargo na mesa diretora da Câmara, que acumulava a função de corregedor, e, nesta segunda, entrou com um pedido de desfiliação do DEM junto do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Ele pediu para se desfiliar do DEM alegando estar sofrendo "grave discriminação pessoal" dentro da legenda.

O argumento é aceito pela resolução que trata da fidelidade partidária e foi visto como uma manobra para se antecipar a uma possível decisão do DEM de expulsá-lo.

Rodrigo Maia, no entanto, nega que Moreira tenha se antecipado a uma decisão do partido e afirma que a decisão do TSE pode demorar meses enquanto a do DEM deverá ser tomada amanhã, na reunião da Executiva Nacional da legenda.

- Ele não se antecipou. Ele entrou com um pedido de justa causa para depois se desfiliar. Mas esse processo pode levar três, cinco, seis meses - disse.

- Ele fez um pedido: eu saio do partido se a Justiça entender que fui perseguido. E se a Justiça não entender que ele foi perseguido, o que eu faço com ele? Fico com ele para mim? Não posso.

- O partido não tem a menor condição neste momento de ficar com o deputado Edmar. Ele mesmo fez críticas ao partido que inviabilizam, da parte dele também, o convívio dele em nosso partido - completou.