Defesa diz que 18 de avião que caiu eram da mesma família

ARNOLDO SANTOS, Portal Terra

MANAUS - A Defesa Civil da cidade de Coari informou que pelo menos 18 passageiros do avião Bandeirante que caiu ontem, no início da tarde, no rio Manacapuru, eram da mesma família. "Essas pessoas vinham no avião fretado para um aniversário em Manaus", informou o secretário de Defesa Civil de Coari, coronel Orleílson Guimarães. O Instituto Médico Legal (IML) confirmou 24 mortes no acidente. Quatro sobreviveram.

A aeronave partiu de Coari (a 360 km de Manaus) e caiu no rio a cerca de 20 minutos antes de pousar na capital do Estado. O Instituto Médico Legal de Manaus (IML) expediu a lista contendo os nomes de 24 vítimas do acidente. Todos os corpos estavam dentro do avião que foi içado por um guindaste da Petrobras que é usado na construção do gasoduto Coari-Manaus.

O secretário informou que o avião tem capacidade para 18 pessoas. "Pelas contas, a gente vai ver que o avião ia com dez pessoas acima da capacidade. Por isso, temos de ver quantas eram realmente crianças de colo", disse Guimarães.

Os corpos passam por exames de necropsia no IML de Manaus. Entre os mortos, estão a secretária de Saúde de Coari, Joelma Gomes de Aguiar, o piloto César Leonel Grieger e o co-piloto, Danilson Cirino Aires. Ao todo, morreram 17 adultos, sete crianças e os dois tripulantes. Segundo informações do Corpo de Bombeiros, não há possibilidade de encontrar mais corpos no local do acidente. As buscas foram suspensas por volta das 2h da manhã.

Ainda ontem, a direção da empresa Manaus Aerotaxi, proprietária do avião, informou que o número de pessoas à bordo, informado pelo piloto, era de 26 pessoas. As investigações para apurar as causas do acidente foram abertas ontem mesmo pela Aeronáutica.