Polícia prende suspeitos de atirar em estudante em Goiânia

Portal Terra

GOINIA - A Polícia Civil de Goiânia (GO) prendeu três homens suspeitos de participação na tentativa de latrocínio em que a estudante Cecília de Sousa Freitas, 20 anos, foi gravemente ferida com um tiro na cabeça. O crime aconteceu na madrugada do último sábado. Ela saía de sua residência, no Setor Bela Vista, para se encontrar com o namorado, o empresário Eduardo Henrique de Deus, 25 anos, em uma picape Montana estacionada em frente ao prédio dela.

De acordo com a polícia, Júnio Caetano Costa Silva, 18 anos, dono do carro usado no crime, e Santiago Marques Ferreira Júnior, 31 anos, fizeram a abordagem ao casal, enquanto Túlio Gondim de Carvalho, 34 anos, deu cobertura aos dois usando um Corsa de Júnio. Os três foram apresentados à imprensa nesta manhã e Júnio disse que o disparo foi um acidente, pois a arma ficou presa na janela do carro quando Cecília, assustada, subiu o vidro da porta da picape. A polícia diz que o tiro pode ter sido mesmo acidental.

Após o tiro, Júnio e Santiago entraram na Montana com Cecília dentro e fugiram por cerca de 1 km. Depois, largaram o carro e entraram no Corsa, que vinha logo atrás com Túlio no volante. A polícia chegou a prender dois rapazes ainda na madrugada de sábado com um carro semelhante ao dos assaltantes, mas eles foram soltos ontem à noite. O verdadeiro Corsa usado pelo trio foi encontrado na tarde de domingo. Júnio chegou a cortar o cabelo antes de se apresentar para confundir as testemunhas, mas mesmo assim foi reconhecido.

Cecília está internada em estado grave no Hospital Neurológico de Goiânia. Ela está em coma induzido e respira com ajuda de aparelhos. Os médicos ainda não sabem quais as seqüelas do disparo.

Com a prisão dos três, a polícia descarta a possibilidade de crime passional, hipótese levantada no começo da semana por causa das ameaças que Cecília teria sofrido de uma outra namorada de Eduardo, uma estudante de 24 anos.