Maroni dá início a processo de alvará para reabrir boate

Portal Terra

SÃO PAULO - TerraDigite no campo o termo que deseja buscarBuscaAssinaturas e serviçosAssinaturas e serviços

AceleradorAcesso DiscadoAcesso Wi-FiAntivírusAssine TerraBanda LargaCelularCentral do AssinanteConteúdo AdultoControle de PrivacidadeDisco VirtualDisney ToonTownDivulga FácilRegistro de DomínioSegurança TotalSonora ClubeTerra MailTorpedo TerraVOIP

Notícias»BrasilEconomiaMundoTerra MagazineCiênciaEducaçãoTecnologiaVolta às AulasEsportes»AutomobilismoFutebolSurfeVôleiBasqueteLutasTênisEstaduais 2009Sub-20Diversão»CinemaGenteMúsicaTVGamesGuia de CidadesPlaneta TerraBBB 9Festival de verãoVida e Estilo»CarroCulináriaMulherTurismoCriançasEsotéricoModaSaúdeSPFWTerra TV»Sonora»Shopping»Autos & MotosCasa & DecoraçãoEletrônicosTelefoniaBrinquedos & GamesEletrodomésticosInformáticaVitrineDia-a-Dia»CelularClube TerraDownloadImóveisMapasPrevisão do TempoTrânsitoVitrineCidadaniaConcursosEmpregosLoteriaNamoroShoppingVestibularComunidades»BlogsFotologChatVídeosChat»CidadesNamoroMais salasIdadesSexoVC Repórter»BrasilCidadesPolíticaPolíciaCidades

Enviar para amigos Comentar Maroni dá início a processo de alvará para reabrir boate20 de janeiro de 2009 " 07h34 " atualizado em 20 de janeiro de 2009 às 07h34 Notíciasimprimirreduzir tamanho da fonte tamanho de fonte normal aumentar tamanho da fonte

O empresário Oscar Maroni Filho, dono da boate Bahamas, afirmou ontem que pretende reabrir o local em uma semana. Segundo ele, seu advogado esteve na prefeitura para dar início ao processo de alvará. A Subprefeitura da Vila Mariana, no entanto, diz que não acredita que a casa seja aberta na próxima semana, pois ainda faltam documentos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Na semana passada, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) inocentou o empresário da acusação de facilitação à prostituição. A Justiça avaliou que a boate Bahamas não pode ser considerada como prostíbulo porque, apesar de ser freqüentada por prostitutas, elas não mantinham vínculo com a casa.

Oscar Maroni Filho foi preso preventivamente em 2007, acusado de favorecimento e exploração da prostituição, formação de quadrilha e tráfico de pessoas. Ele foi solto ainda em 2007, após pouco mais de um mês de prisão.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais