Acordo com Abin visa proteção de dados estratégicos

Portal Terra

BRASÍLIA - O Ministério da Justiça assinou ontem termo de cooperação técnica com a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) para a implantação de ações que visam proteger informações consideradas estratégicas para o Brasil, por meio do Programa Nacional de Proteção do Conhecimento Sensível (PNPC). O acordo foi firmado na sede da Abin, em Brasília.

Criado em 1997, o PNPC é destinado às instituições nacionais, públicas ou privadas que geram ou possuem conhecimentos de Estado. Toda a metodologia do programa é voltada para a proteção de dados, informações, documentos e materiais sigilosos, cuja divulgação não-autorizada possa acarretar em prejuízos à sociedade e ao Estado.

Os objetivos deste programa são desenvolver uma cultura de proteção; sensibilizar e interagir órgãos diversos sobre as ameaças representadas pela espionagem econômica. Entre os parceiros PNPC estão: a Caixa Econômica Federal, o Banco Central, a Embrapa e o Centro Nacional de Tecnologia Eletrônica Avançada.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais