Natal: vamos fazer auditoria em toda gestão anterior, diz Micarla

Juliska Azevedo, Portal Terra

NATAL - A prefeita de Natal, Micarla de Sousa (PV), inicia a sua administração com o peso de ser a única candidata a vencer as eleições em primeiro turno na capital do Rio Grande do Norte. Agora, Micarla pretende começar sua gestão fazendo uma auditoria em todas as secretarias.

- Vamos fazer uma auditoria nos contratos e em toda a gestão - afirmou a prefeita em entrevista ao Terra.

Os relatórios dos secretários sobre as contas do municípios deveriam ter sido apresentados ontem, mas segundo Micarla, não havia condições para a apresentação porque ainda não haviam sido concluídos. Ela disse que os números passados para a equipe de transição não coincidiram com o que foi encontrado pelos secretários quando assumiram.

A vitória histórica veio em uma disputa na qual Micarla, então deputada estadual em primeiro mandato, enfrentou um acordo político que juntou os governos federal, estadual e municipal. Além disso, trata-se da primeira prefeita eleita pelo Partido Verde em uma capital brasileira e uma entre os dois candidatos de capitais - o outro foi Gilberto Kassab (DEM), em São Paulo - a enfrentar a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no palanque adversário durante a campanha.

Jornalista, 38 anos, casada e mãe de dois meninos, Micarla de Sousa está na política há quatro anos. Ingressou pouco antes da campanha de 2004, após figurar em uma pesquisa de intenção de voto com 10% da preferência para a disputa de prefeito sem sequer ser filiada a um partido político. A notoriedade vinha da carreira de apresentadora de programa jornalístico na afiliada do SBT em Natal, que pertence à sua família, e ao fato de ser a filha mais velha do senador Carlos Alberto de Sousa, político popular falecido em 1998. Micarla acabou sendo eleita vice-prefeita de Natal na chapa com Carlos Eduardo Alves (PSB), a quem sucede agora. Rompida politicamente com o prefeito, foi eleita a deputada estadual mais votada de Natal em 2006, com 43 mil votos. Desde então, vinha se preparando para disputar a prefeitura. Leia a íntegra da entrevista:

A senhora é a primeira prefeita eleita pelo PV em uma capital brasileira. Em que isso irá influenciar sua gestão?

- O povo de Natal deu uma grande resposta através do voto e decidiu acreditar no projeto defendido pelo Partido Verde, que prega o desenvolvimento sustentável, a preservação do meio ambiente e novos modelos de gestão que visam a marca da eficiência no serviço público e o foco nas necessidades da população. Isso, sem dúvida, já começa a nortear ações da nossa administração.

Durante a campanha, a senhora prometeu se voltar especialmente para recuperar o serviço de saúde pública em Natal. E escolheu o novo secretário de saúde em um "pacto" com o sindicato dos médicos. Que repercussão pretende que essa medida tenha em sua gestão?

Tenho afirmado que serei uma secretária adjunta da Saúde Municipal. Vou fiscalizar todas as ações da prefeitura, que estarão voltadas para a melhoria da prestação dos serviços à população natalense. É triste receber a administração da cidade numa situação tão estarrecedora. Os postos de saúde não funcionam, faltam medicamentos. As pessoas precisam ser tratadas com dignidade e respeito. Sabemos que não vamos resolver todos os problemas como em um passe de mágica. Mas vamos lutar para solucionar a grande maioria e pela implantação de um serviço de saúde eficiente. A parceria com os médicos será fundamental. Já conversamos com as promotoras da Saúde. Uma das primeiras ações que pretendemos fazer é a execução de um plano de emergência de combate à dengue, já que especialistas alertam para a possibilidade de uma das maiores epidemias em 2009. Agindo com prevenção, podemos nos antecipar e impedir que a epidemia se instale na capital. Estamos ainda estudando a possibilidade de contratação imediata de 200 médicos para preencher a demanda existente.

Outra questão tratada como prioritária foi a segurança. A senhora anunciou a criação de uma Secretaria de Defesa Social. Como será a atuação dessa secretaria?

-Vamos sim criar secretaria a Secretaria de Defesa Social. Podemos dar a nossa contribuição na melhoria da segurança pública da nossa cidade. Segurança é atribuição do governo do Estado, mas a prefeitura também vai participar ativamente das ações, principalmente nas ações preventivas. Não falo segurança no sentido policialesco. O combate ao crime é papel das polícias civil, militar e federal. O nosso principal foco será a prevenção. Agir com antecedência, interagir programas sociais, integrar os jovens ao esporte. A maioria das medidas serão preventivas. Agindo desta maneira, podemos reduzir os índices de criminalidade.

A gestão anterior iniciou, em parceria com o governo do Estado, o projeto de sanear Natal até 2014. Até o ano passado, a cidade só tinha 30% de sua área saneada. O que será possível realizar em sua gestão?

-Vamos fazer um levantamento real do que foi feito até agora, das obras em andamento, dos projetos paralisados, criar uma agenda de prioridades. As obras de saneamento serão uma prioridade da nossa gestão. Muitas vezes os governantes deixam em segundo plano este tipo de obra porque elas não garantem visibilidade ao gestor. Mas será uma prioridade a atenção às obras de saneamento. Natal já era para ser 60% saneada, de acordo com o contrato da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern). Vamos tentar fazer com que a Caern cumpra este contrato. Temos um solo frágil, a cidade é praticamente construída em cima de dunas. O nosso lençol freático é muito aflorado. É preciso garantir sua preservação.

O turismo é a principal atividade econômica de Natal, mas o orçamento da Secretaria Municipal de Turismo é um dos menores do município, não chegando sequer a R$ 2 milhões. O que a senhora pretende fazer para desenvolver a atividade com esses recursos?

-Sabemos da importância do turismo e das atividades que ele envolve para a economia do Rio Grande do Norte e em especial da capital. Vamos dotar a Secretaria de Turismo da estrutura e recursos necessários para que possamos desenvolver um trabalho pró-ativo de captação turística, capacitação da mão-de-obra local, entre outras medidas que julgamos importantes. Esta semana determinei a criação de um grupo de trabalho envolvendo secretarias estratégicas, como Esporte, Turismo, Trânsito e Serviços Urbanos, com objetivo de trabalhar o projeto para que Natal seja uma das sedes brasileiras dos jogos da Copa do Mundo 2014 de Futebol. Esta será uma ação importante. Se conseguirmos êxito, estaremos projetando a nossa cidade para o mundo. Isso é uma ação pontual. Mas estamos trabalhando um planejamento de atuação para 2009, quando vamos desenvolver uma estratégia para captação de turistas.

Durante o período de transição, a senhora declarou à imprensa que estavam sendo identificadas várias irregularidades na gestão dos recursos públicos. Qual a dimensão do problema e quais medidas serão adotadas?

-Algumas secretarias foram extremamente ágeis e abertas à nossa equipe de transição.Outras levaram as questões para o lado político eleitoral. A dimensão exata do problema só teremos quando concluirmos um levantamento que está sendo feito por cada uma das secretarias. Vamos fazer uma auditoria nos contratos e em toda a gestão. É uma preocupação nossa receber a administração com tantos débitos, tantas reclamações, muitos serviços paralisados. Isso mostra que o desprezo com o tratamento da coisa pública. Nossa equipe terá uma visão diferente. E pedi que todos os secretários me entregassem uma planilha com a situação financeira de suas pastas.

Antes de assumir, a senhora conheceu modelos de gestão e programas de sucesso em Minas Gerais, São Paulo, Brasília e Paraná. Algum desses projetos será implantado em Natal? Pode especificar?

-Viajei com minha equipe para estes lugares. Meu objetivo foi conhecer administrações que deram certo e foram reconhecidas como eficientes e bem sucedidas. De cada local, extraímos um modelo de gestão, algum projeto específico, como o telefone que funciona como canal direto com a população. Foi uma experiência muito rica. E com certeza implantaremos alguns projetos, adaptando à nossa realidade.

A senhora assume a prefeitura depois de 20 anos de administrações do PSB em Natal. Como será a cara da gestão de Micarla de Sousa? Há alguma diferença pelo fato de ser uma administração feminina?

-É o momento de realizar um sonho que um dia eu sonhei. Preparei-me muito. Estudei bastante, viajei, visitei lugares. Percebi que, em todos os locais em que as administrações funcionam bem, não há propostas mirabolantes, nem montanhas de recursos para que as coisas sejam feitas. O que eu vi foi muito boa vontade, ousadia e responsabilidade dos gestores. Eu entro com este espírito. O fato de ser mulher talvez me torne mais sensível às questões sociais, às demandas que percebo junto à população. Tenho enfatizado aos meus secretários que vou exigir eficiência no trato com a coisa pública, pois fui eleita pelo povo e devo uma satisfação. Este povo precisa ser tratado com respeito e toda atenção necessária.

A senhora faz parte de um partido que está na base do presidente Lula e na base da governadora Wilma de Faria. Isso fará diferença na hora de buscar recursos e parcerias para Natal?

- Não acredito que a liberação dos recursos para execução de obras importantes e essenciais esteja atrelada às questões político partidárias. Estou focada no trabalho e espero contar com todo o apoio necessário dos governos Federal e Estadual.