Marcos Valério pede extensão de liberdade ao STF

Portal Terra

BRASÍLIA - Os advogados do empresário Marcos Valério Fernandes de Souza e do advogado Rogério Lanza Tolentino pediram nesta terça-feira extensão da decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, em relação ao habeas-corpus que concedeu liberdade a Ildeu da Cunha Pereira Sobrinho.

Valério e Tolentino são acusados de participar de suposto grupo criminoso, formado por empresários e servidores públicos, que praticaria extorsão, fraudes fiscais e corrupção. Eles foram presos preventivamente após a Operação Avalanche, da Polícia Federal, realizada em outubro do ano passado em São Paulo e em Minas Gerais.

Ontem, Mendes concedeu habeas-corpus a três investigados: Ildeu da Cunha Sobrinho, Antônio Vieira Silva Hadano e Fábio Tadeu dos Santos Gatto. Em outubro do ano passado, o empresário Marcos Valério e seu sócio Rogério Tolentino foram presos sob acusação de comandar um grupo para tentar livrar a Cervejaria Petropólis de uma fiscalização da Receita Estadual de São Paulo, que a autuou em mais de R$ 104 milhões por sonegação de impostos.

Segundo a Polícia Federal, delegados lotados na PF de Santos (SP), que integrariam o grupo, produziam inquéritos para tentar desmoralizar a ação dos fiscais responsáveis pela multa.