Número de grampos no Brasil cai 30% desde outubro

Portal Terra

SÃO PAULO - O número de grampos telefônicos no Brasil caiu 30%, informou o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) nesse domingo. Os dados atualizados foram repassados pelas operadoras ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes. A informação foi divulgada pelo jornal O Estado de S. Paulo.

A queda das escutas coincide com a adoção da Resolução 59/08, do CNJ, que desde outubro obriga as varas judiciais a enviarem mensalmente relatórios pormenorizados sobre decisões que dão aval à instalação dos grampos.

Para Mendes, a redução mostra que as autoridades diretamente envolvidas com isso (delegados de polícia, promotores, procuradores e magistrados) passaram a agir com mais cautela e atenção.

Em 2008, o presidente do STF abriu uma cruzada contra a indústria dos grampos e denunciou excessos e abusos em investigações de caráter sigiloso. Ele próprio foi alvo de arapongas em conversa com o senador Demóstenes Torres (DEM-GO).

Segundo o CNJ, até novembro estavam em curso 12.210 grampos - a maioria para inquéritos sobre tráfico de drogas, crimes hediondos e financeiros (colarinho-branco) -, segundo registros dos 5 tribunais regionais federais e de 22 tribunais de Justiça estaduais.