Crimes bárbaros marcam o Natal

JB Online

BRASÍLIA - Mãe e padastro são suspeitos de assassinar uma menina de 8 anos no município de Jandira (34 Km de São Paulo). O corpo da garota Polyana foi encontrado na tarde de quarta-feira, véspera do Natal, por volta das 15h40 em um terreno baldio, no bairro Jardim Sagrado Coração.

Na madrugada do último domingo, a mãe da criança, a cantora Joseli de Castro, de 28 anos, registrou o desaparecimento da filha na delegacia central do município. Desde então, ela e o padrasto da garota, Joel Marques Muniz de Oliveira, 25 anos, iniciaram uma campanha na cidade para encontrar a criança. As suspeitas sobre o casal aumentaram com o depoimento dado à Polícia Civil. Dois indícios chamaram a atenção da Polícia: a frieza da mãe e o fato de ela falar da filha no passado, como se a menina já estivesse morta.

Ontem, o casal prestava esclarecimentos sobre o caso quando o corpo foi encontrado por um aposentado de 56 anos que colhia capim no terreno baldio da rua Francisco José Longo, para alimentar sua criação de coelhos. O aposentado chamou a PM, que teve dificuldades em resgatar o cadáver da garota.

De acordo com o boletim de ocorrência, ao ser informado sobre a localização do corpo, Joel confessou o crime. Ele disse ter golpeado duas vezes o pescoço da garota com facas dadas por Joseli, mãe de Polyana. O assassinato teria acontecido no domingo. Joseli negou participação. A arma do crime não foi encontrada.

Na versão de Joseli, a criança desapareceu por volta das 21h do sábado, depois de sair de casa para esperar o padrasto, que teria ido comprar pizza. Com a demora, ela saiu procurando Polyana e não a encontrou. Pouco depois da meia-noite de sábado para domingo, houve o registrou na delegacia do desaparecimento.

Informações preliminares confirmam que a menor morreu há cerca de três ou quatro dias, mas a perícia não foi capaz de dizer qual a causa da morte, porque o corpo estava em avançado estado de decomposição. Em 30 dias, o Instituto Medico Legal (IML) fará um laudo sobre a causa da morte. Existem também suspeitas de violência sexual contra a criança, cujo corpo foi encontrado usando roupas, mas sem calcinha. Os motivos do crime também não foram esclarecidos. A suspeita é de que o padrasto tenha se irritado com a menina e a visse como uma espécie de empecilho no relacionamento dele com Joseli. Joel de Oliveira está preso na cadeia pública de Carapicuíba e a mãe está detida na cadeia feminina de Jandira.

Assassinato em Salvador

Na capital baiana, a estudante Tábita Pereira Saldanha, de 21 anos, foi assassinada na tarde do dia 24 pelo padrasto, Walter Fernandes Oliveira, de 53, ao tentar defender a mãe, Maria Alice Negrão Pereira, de 50, que era esfaqueada em várias partes do corpo. O crime ocorreu na casa na qual a família vivia, no bairro de Mussurunga I, periferia da cidade. O acusado ainda feriu Sheila Catarina Pereira, sobrinha de Maria Alice, pouco antes de ser contido por vizinhos.