Sarkozy rebate críticas de que estaria de férias no Brasil

JB Online

RIO DE JANEIRO - O presidente da França, Nicolas Sarkozy, que encerrou nesta terça-feira a reunião de trabalho com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Rio de Janeiro, rebateu críticas do Partido Socialista francês de que estaria de férias de seis dias no Brasil nesse período de crise internacional.

Sarkozy esclareceu que regressaria à França tão logo se encontrasse com o pai biológico de sua mulher, Carla Bruni, o italiano Maurizio Lammert, que vive há 30 anos no Brasil.

- Eu acho que é muito importante para nós, os responsáveis políticos, sermos transparentes e respondermos à sua pergunta - afirmou, dirigindo-se ao jornalista francês que colocara a questão. Esclareceu que em 2008 teve muitos problemas com o que se ocupar. E prometeu que 2009 não vai decepcionar vocês. Se houver algum problema, eu estarei no meu escritório imediatamente . Indagou, entretanto, se no período de festas de fim de ano, será que a gente não pode ter um prazerzinho?

O presidente da França assegurou que a ajuda concedida às montadoras de automóveis franceses em razão da crise financeira internacional não é superprotecionismo. Trata-se de ajudar nossos industriais a construir carros não poluidores. Carros mais limpos, carros tecnologicamente mais inovadores, inclusive carros elétricos , disse.

Sarkozy afirmou que isso seria interessante para a França, que não possui gás nem petróleo, mas que sempre mexeu com energia nuclear. Por essa razão, ele considerou normal que os industriais franceses voltem sua atenção para a produção de veículos elétricos e híbridos.