Garibaldi: repercussão nos leva a refletir sobre PEC dos Vereadores

Portal Terra

BRASÍLIA - Inicialmente insatisfeito com a postura da Câmara de não assinar a Proposta de Emenda a Constituição (PEC) dos vereadores, o presidente do Senado Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), baixou o tom e disse que a repercussão negativa pode levar os senadores a refletir sobre a decisão. - A repercussão negativa nos leva a refletir sobre o que foi decidido. A opinião pública tem que ser ouvida - disse.

O senador acredita que o tema só será definido no ano que vem, pelo Supremo Tribunal Federal (STF), já que a advocacia do Senado entrou com um mandado de segurança para fazer valer a PEC que aumenta o número de vereadores no país.

Para não assinar a PEC, a mesa diretora da Câmara alegou que o Senado retirou da proposta um artigo que previa redução no repasse de verbas dos municípios para as câmaras municipais. Apesar de a principio não ter gostado da atitude dos deputados, hoje Garibaldi admitiu que houve um certo "desconforto" em torno do assunto.

Ainda nesta segunda-feira, último dia atividades do ano legislativo do Senado, Garibaldi se reuniu com senadores da oposição com objetivo de buscar apoio para as eleições da Casa no ano que vem.

Depois de passar pelos gabinetes dos senadores Arthur Virgílio (PSDB-AM) e Sérgio Guerra (PSDB-PE), Garibaldi disse que ainda não tem apoio da oposição, mas garantiu que não teme ser isolado pela bancada do PMDB às vesperas da eleição. - Não sou um candidato obsessivo. (...) Mas não nasci para ser abandonado - afirmou.