Jovem arrastada por 900 m em SP deixa hospital

Portal Terra

ARARAQUARA - A estudante universitária Flaviana Barbosa, 27 anos, deixou o hospital em Ribeirão Preto, onde permanecia internada, após ser atropelada e arrastada por 900 m enquanto passeava de moto com o noivo, em 26 de setembro, em Araraquara, interior de São Paulo.

Ela chegou a ficar 47 dias em coma induzido e passou por uma série de cirurgias. Abalada, Flaviana não aceita ser vista e disse, pelos pais, que não tem condições de dar entrevistas.

Ela passa o dia deitada e, ainda sob o efeito dos medicamentos, segundos os familiares, está fraca e dorme muito.

- Ela ainda está sofrendo muito. Algumas vezes fica calada, chora e estamos respeitando e deixando ela se adaptar - disse o pai, João Batista Barbosa Neto, 63 anos. Flaviana não perguntou aos pais sobre o motorista que a atropelou e nem relatou detalhes sobre o dia do acidente.

Sem falar muito, segundo o pai, a jovem teria apenas comentando que não se lembra de ter sido arrastada e tem poucas memórias do dia. O pai conta que Flaviana ainda passará por uma série de cirurgias plásticas para reconstruir parte do corpo perdido no acidente. Ela ainda fará operação na cabeça, rosto, peito e pernas. Os médicos a estão consultando em casa.

- Pelo menos ela vai passar o Natal com a gente.

Nesta semana, a Justiça ouviu as testemunhas de defesa do motorista no processo de tentativa de homicídio. As testemunhas de acusação já foram ouvidas. O motorista, o pintor de carros Admilson Alves de Oliveira, 26 anos, deve ser ouvido em janeiro.

O laudo de dosagem alcoólica mostrou que o motorista estava alcoolizado e, segundo o documento, não tinha condições de dirigir. Na ocasião, ele admitiu ter tomado três latas de cerveja. O acusado está preso na Penitenciária de Araraquara.