SP: videoconferência colocaria mais 700 PMs nas ruas

Portal Terra

SÃO PAULO - A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP) afirmou que o Estado ganhará reforço de 700 policiais militares nas ruas caso a lei que permite interrogatórios por videoconferência seja aprovada. Isso ocorre porque esses PMs trabalham com dedicação exclusiva a escolta de presos. A lei foi aprovada na Câmara e enviada à sanção presidencial.

Hoje, de acordo com a SSP, 1.521 PMs dedicam-se exclusivamente à escolta de presos para julgamento ou tomada de depoimento em juízo. Com a entrada em vigor da lei aprovada pelo Congresso, quase metade deste contingente retomará a atividade de patrulhamento das cidades paulistas, reforçando a segurança pública. Os demais 821 PMs permanecerão realizando escoltas de presos para tratamento médico-hospitalar e transferência entre unidades prisionais.

A nova lei poderá trazer ao Estado uma economia de cerca de R$ 6 milhões por ano, sem contar os salários dos policiais. Até 23 de novembro, a Secretaria da Segurança Pública havia contabilizado um gasto de R$ 5,53 milhões com escoltas de presos para apresentação em juízo.

Para garantir a segurança das escoltas, os policiais foram mobilizados 100.859 vezes e as viaturas fizeram 54.842 viagens, em um total de 5,4 milhões de km, se somados todos os trajetos. Segundo a secretaria, foram realizadas neste ano 66.283 escoltas de presos que foram levados à presença de juízes 165.474 vezes.