Obama: Blagojevich deve renunciar

JB Online

RIO - O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu ontem para o governador de Illinois, Rod Blagojevich, renunciar. O porta-voz de Obama, Robert Gibbs informou que o novo chefe de Estado concorda com outros políticos como o vice-governador de Illinois, Pat Quinn, que sob as atuais circunstâncias, é difícil para o governador realizar seu trabalho efetivamente e servir o povo de Illinois .

- O presidente-eleito acredita que a Assembléia Geral de Illinois deve iniciar um processo para escolher um novo senador que seja da confiança do povo do estado - acrescentou Gibbs em comunicado.

Blagojevich retornou ao trabalho ontem como se nada tivesse acontecido, um dia após ter sido acusado de corrupção e mantido sob prisão domiciliar. Entre as alegações, consta que Blagojevich tentou leiloar a cadeira do Senado que Barack Obama deixou vaga ao ser eleito presidente.

O governador deixou sua casa na área norte de Chicago na manhã de ontem e acenou para a mídia, antes de entrar rapidamente em seu carro e dirigir rumo ao gabinete do governador, seguindo a velha rotina.

A detenção de Blagojevich e de seu chefe de gabinete, John Harris, abriu um novo capítulo no estado que já apresenta uma longa história de problemas elegendo autoridades. Blagojevich, que completou 52 anos ontem, e Harris, de 46, foram acusados de conspiração para cometer fraude e requisitar suborno.

Uma transcrição de 76 páginas do FBI afirma que o governador democrata foi pego em flagrante por escutas telefônicas. Eu quero fazer dinheiro , disse ele em um dos trechos da transcrição, que destaca uma conversa mantida em 10 de novembro entre Blagojevich, sua esposa Patti, John Harris, e um grupo de conselheiros.

Obama e Blagojevich nunca foram especialmente próximos e sempre operaram em diferentes frentes do Partido Democrata. Em breves declarações, Obama disse estar entristecido e atônito com o fato de o governador ter desejado lucrar com a indicação à sua vaga no Senado e assegurou que não teve contato com Blagojevich nem com seu escritório sobre a questão do assento.

Entretanto, um telefonema que Obama fez há três meses para seu mentor político, Emil Jones, líder do Senado de Illinois, acelerou a passagem de uma lei ética que indiretamente ajudou a trazer à tona o escândalo envolvendo Blagojevich. Os republicanos não pouparam críticas a Obama:

A natureza grave dos crimes listados pelos procuradores elevam questões sobre a interação do governador Blagojevich com o presidente eleito e outros altos oficiais que trabalharão com o futuro presidente afirmou o deputado republicano da Virgínia Eric Cantor.

O diretor do Comitê Nacional Republicano, Robert Mike Duncan, também indicou que os comentários de Obama sobre o problema são insuficientes .

Ficha suja

O estado de Illinois tem um longo histórico de nepotismo, corrupção e crime organizado. Em Chicago, a maior cidade de Illinois, a tradição remonta à década de 1920, com o chefão da máfia ítalo-americana, Al Capone.

Entre os episódios mais recentes encontra-se o de Antoin Rezko, antigo arrecadador de fundos de Blagojevich, condenado em junho deste ano por 16 crimes federais, incluindo fraude, lavagem de dinheiro e suborno.

Em abril de 2006, o então governador do estado, George Ryan, foi sentenciado a seis anos e meio de prisão por garantir contratos em troca de presentes, dinheiro e férias de luxo. Ao receber o veredicto, o promotor encarregado do caso disse que a sentença deveria servir de mensagem contra o vírus mutante da corrupção no estado.