Mortes por acidentes com moto crescem mais de 2.000%

JB Online

BRASÍLIA - Os óbitos por acidentes envolvendo motociclistas cresceram

vertiginosamente no Brasil de 1990 a 2006. Se em 1990 ocorreram 299 mortes com acidentes envolvendo motos, em 2006 esse número subiu para 6.734, representando um crescimento de 2.252%. - A moto tornou-se uma opção muito interessante diante dos congestionamentos. Além disso, ela é um meio de trabalho para muita gente. O fato de ser mais barata que automóvel e poder ser financiada por períodos longos também contribui para o aumento da frota - explica a autora do estudo 'Tendência de Acidentes de Transporte Terrestre segundo porte populacional dos municípios Brasil, 1990 a 2006', Marli Silva Montenegro, que trabalha na Secretaria de

Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde.

A taxa de óbitos por acidentes com moto subiu de 0,01/100 mil hab. em 1990 para 4,6/100 mil hab. em 2006 nas cidades com menor porte populacional (até 20 mil habitantes). Nas cidades com maior porte populacional (acima de 500 mil

habitantes), esse índice foi de 0,2/100mil habitantes em 1990 para 2,6/100 mil habitantes em 2006. Dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) do Ministério da

Saúde mostram que, em relação a óbitos em decorrência de acidentes de transporte terrestre, esse tipo de veículo está em quarto lugar.

Os acidentes de transporte terrestre são a segunda causa de

morte por causas externas, correspondendo a 28%. - A conseqüência disso são altos custos para a sociedade, impactos sociais e psicológicos para suas vítimas e

familiares - diz Marli.