SC: governo faz mutirão para emissão de documentos depois das chuvas

Agência Brasil

BRASÍLIA - O governo do estado de Santa Catarina realiza a partir desta quarta-feira mutirões nos municípios afetados pelas chuvas para emitir a segunda via da carteira de identidade dos cidadãos que ficaram sem seus documentos depois da tragédia. O primeiro município a receber o mutirão será Blumenau, uma das cidades mais atingidas do estado.

A iniciativa é do Instituto Geral de Perícia (IGP) da Secretaria de Segurança de Santa Catarina. Segundo Maria da Graça Perico, papiloscopista responsável pelas ações de cidadania do IGP, a documentação é fundamental, tanto para que as pessoas retomem sua rotina, quanto para que possam ser incluídas em programas de auxílio à vítimas.

Uma equipe de 13 pessoas vai trabalhar na coletar dados e impressões digitais dos cidadãos para entregar os documentos no menor prazo possível .

- Nossa equipe vai fazer todos os registros manualmente, depois levaremos para Florianópolis para digitalizar os dados. Normalmente, o prazo para a entrega da carteira de identidade é 10 dias. Nós vamos tentar antecipar para 2 ou 3 dias -informou a papiloscopista.

Ela explicou que, em situações normais, é necessário apresentar certidão de nascimento ou de casamento, além de duas fotos 3x4, para encaminhar a segunda via da carteira de identidade, mas devido à situação de emergência, o IGP está buscando formas de contornar a falta dos documentos, como incluir os cartórios das cidades no mutirões para que providenciem a segunda via das certidões.

- Muita gente perdeu tudo. Sabemos que nem todo mundo tem a certidão de nascimento em mãos. Foi uma coisa descomunal [as chuvas de Santa Catarina], a gente não sabe mais o que fazer para ajudar essa população - afirmou.

Em Blumenau, o mutirão será realizado de 9h às 18h, na Secretaria Distrital do Garcia. Também amanhã serão definidos os próximos municípios em que a iniciativa será desenvolvida.

- Estamos decidindo com as prefeituras, a Polícia Civil e a Defesa Civil dos municípios. Vamos dar prioridade às áreas mais atingidas - disse Maria da Graça.