Oposição mantém plano de votar a reforma tributária só em 2009

Agência Câmara

BRASÍLIA - Os líderes da oposição se reuniram nesta terça-feira para discutir a reforma tributária, mas não chegaram a um acordo sobre a votação da proposta em 2008. O líder do DEM, deputado Antonio Carlos Magalhães Neto (BA), disse que a oposição vai se manter firme na obstrução de votações caso o governo insista em votar a reforma tributária neste ano.

Durante a reunião, Magalhães Neto reforçou a sugestão de votar a reforma na segunda quinzena de março de 2009, depois que o texto passar pela análise técnica de um grupo de trabalho. Segundo o líder do DEM, a oposição não admite nem mesmo iniciar as discussões em Plenário da proposta em 2008.

O líder do governo, deputado Henrique Fontana (PT-RS), disse que vai consultar o governo nas próximas horas sobre a sugestão de adiamento da votação. Fontana disse que, levando em conta a composição das bancadas dos estados que querem a reforma e a própria base aliada ao governo, é possível aprovar a reforma no voto. Ele afirmou, no entanto, que a base governista tenta negociar a proposta para evitar a obstrução dos partidos oposicionistas.

Fontana e o relator da reforma tributária, deputado Sandro Mabel (PR-GO), participaram da reunião com os líderes de oposição. A proposta de reforma tributária que está sendo discutida é o substitutivo de Mabel às PECs 233/08, 31/07 e 45/07.