OAB: Torturadores devem ser punidos

JB Online

NATAL - O presidente da Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) do Rio de Janeiro, Wadih Damous, afirmou hoje que os crimes de tortura praticados durante a ditadura militar no Brasil podem e devem ser julgados, por se tratarem de crimes comuns, de lesa-humanidade, não tendo sido atingidos pela prescrição. - Tortura não é crime político, mas crime comum e, como tal, deve ser punida como qualquer crime - afirmou.

Damous considerou acertada a decisão do Conselho Federal da OAB, de ajuizar ação junto ao Supremo Tribunal Federal para que este decida se tais crimes são ou não imprescritíveis. - Se o STF sufragar este entendimento, estará resgatando à cidadania brasileira uma parte importante da história do Brasil - finalizou, ressaltando que esta é uma página que não pode ser esquecida.

A afirmação foi feita pelo presidente da OAB fluminense na cidade de Natal, onde participará da XX Conferência Nacional dos Advogados, que terá início às 19h de hoje. O evento acontece até o próximo dia 15 no Centro de Convenções da capital potiguar.