Lula reúne ministros do PMDB para definir sucessão

Portal Terra

BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva convocou para a próxima semana uma reunião ministerial apenas com os representantes do PMDB na Esplanada dos Ministérios em busca de ajustar, junto com o partido, os nomes que disputarão as presidências da Câmara dos Deputados e do Senado no próximo ano.

Temendo desgaste entre PT e PMDB, os dois maiores partidos da base aliada, o presidente quer acabar com as restrições em torno do nome do petista Tião Viana à presidência do Senado.

Pela tradição do Congresso, caberia ao partido com a maior bancada em cada Casa o direito de ocupar as duas presidências, mas essa regra, em 2009, colocaria o PMDB nos dois postos.

Para evitar a ocupação completa dos peemedebistas, o PT tem reivindicado ficar com o cargo no Senado, já tendo sugerido o nome de Viana para o cargo, enquanto o deputado Michel Temer (PMDB-SP) ficaria com a presidência da Câmara.

Na última semana, Lula havia recebido, em caráter reservado, o senador José Sarney (PMDB-AP), apontado como eventual candidato à presidência do Senado.

De acordo com o ministro de Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, durante a reunião ministerial não serão discutidos possíveis novos cargos para o PMDB no governo e tampouco parcerias eleitorais para a sucessão do presidente Lula em 2010. Ele observou, no entanto, que, mesmo com a reunião, o tema não deve ser concluído no curto prazo.

- Não digo fechar questão, mas precisamos fazer algumas considerações por conta do equilíbrio político. O governo é composto de 14 partidos políticos. Nós precisamos estabelecer um equilíbrio para continuar cooperando e se respeitando e ajudando no programa no governo. Faltam dois meses para o final do ano e para essa questão é muito tempo. Eu acho que vamos nos arrastar até janeiro para que todas as questões sejam exauridas e discutidas e que todos dêem suas opiniões - comentou.

Participarão da reunião com o presidente Lula os ministros Nelson Jobim (Defesa), Geddel Vieira Lima (Integração Nacional), Hélio Costa (Comunicações), José Gomes Temporão (Saúde), Edison Lobão (Minas e Energia) e Reinhold Stephanes (Agricultura).