Gabinete de Segurança Institucional comenta apreensão na Abin

Agência Brasil

BRASÍLIA - O Gabinete de Segurança Institucional da Presidência divulgou nesta terça-feira nota oficial em que diz ter "confiança na isenção" dos responsáveis pela investigação dos dados disponíveis nos computadores e outros equipamentos da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) apreendidos pela Polícia Federal, como parte das investigações da Operação Satiagraha.

O gabinete informa também que solicitou ao ministro da Justiça, Tarso Genro, que um integrante da Abin acompanhe a investigação. "Com relação à busca e à apreensão realizadas no último dia 5 do corrente mês, o ministro chefe do GSI [general Jorge Armando Félix] encaminhou expediente ao Ministério da Justiça relatando sua preocupação com a observância de rigoroso sigilo em relação aos dados existentes no material apreendido. Destacou que a Abin detém informações sensíveis do Estado brasileiro e solicitou que seu manuseio fosse acompanhado por pessoal credenciado da Abin", diz a nota, divulgada pela assessoria de comunicação do GSI.

O ministro Tarso Genro disse nesta tarde ter concordado com o pedido do general. Para Tarso, a Polícia Federal não errou ao apreender os equipamentos.