Ministério divulga esta semana levantamento sobre a dengue no país

Agência Brasil

RIO - No próximo dia 20, o Ministério da Saúde vai divulgar os resultados do Levantamento do Índice Rápido de Infestação do Aedes aegypti (Lira), abrangendo 137 municípios mais vulneráveis à dengue em vários estados brasileiros.

Em entrevista hoje, durante o 2º Encontro de prefeitos eleitos do Estado do Rio de Janeiro, em Petrópolis, o ministro José Gomes Temporão destacou a importância do levantamento. O trabalho, segundo ele, permite ter um diagnóstico sobre onde a situação é mais crítica ou mais grave. - A idéia é fazer com que os prefeitos divulguem para todos os moradores, de maneira ampla e transparente, qual é a real situação -disse.

A divulgação é fundamental, destacou Temporão, porque o cidadão tem direito de saber o que ocorre na sua rua, no seu bairro ou no local onde trabalha. - Essa informação é útil do ponto de vista de mobilização. Se a situação é mais grave em determinada localidade, vamos trabalhar juntos para que a coisa mude - enfatizou.

Apesar de não querer antecipar nenhum número do levantamento sobre a situação da dengue, o ministro informou que o governo federal está mais preocupado com alguns bairros das zonas norte e oeste da cidade do Rio e a Baixada Fluminense, devido à presença do vetor e também pela dinâmica da circulação do sorotipo tipo 2. - No município do Rio, este ano, nós tivemos uma situação muito grave, com muitos óbitos, uma situação inadmissível, que não pode se repetir - disse Temporão.

Em 2007, o ministério liberou cerca de R$ 780 milhões para combate à dengue em todo o país. Este ano, a meta é ultrapassar R$ 1 bilhão. - Estamos colocando R$ 200 milhões a mais este ano para a contratação de agentes de saúde, aquisição de insumos e equipamentos, treinamento e, também, uma forte campanha de educação - afirmou.

Temporão citou que no ano passado os números divulgados pelo levantamento mostravam que o município do Rio era uma área muito crítica. - O que faltou, a meu ver, foi um trabalho de prevenção. Isso levou à situação que vimos aqui - concluiu.