Garibaldi diz que servidores corruptos são minoria

Agência Senado

BRASÍLIA - O presidente do Senado, Garibaldi Alves Filho, disse nesta segunda-feira que os servidores públicos corruptos são minoria. Para ele, os casos de corrupção envolvendo grandes autoridades acabam levando a uma generalização que gera a impressão de que todo servidor público é corrupto. - Na verdade, o servidor em geral não tem esse perfil. Isso é por conta da generalização que às vezes ocorre quando os escândalos são denunciados num tom maior, e aí quem paga é aquele que está lá no seu birô e que nunca pensou em praticar um ato ilícito - disse.

No domingo, foi divulgada pesquisa feita pela Universidade de Brasília (UnB) a pedido da Comissão de Ética Pública, da Presidência da República, sobre a conduta ética dos servidores públicos e da sociedade. De acordo com a pesquisa, 18,1% dos servidores públicos entrevistados admitiram já ter cobrado propina.

Indagado se pretendia interferir na escolha do seu sucessor na Presidência do Senado, que deve ser definido em fevereiro, Garibaldi afirmou que já há "articuladores que estão aí na linha de frente tratando dessa questão". Ele disse esperar que o seu partido, o PMDB, permaneça unido ao definir a sua posição sobre o assunto.

- Fala-se muito no nome do senador José Sarney (PMDB-AP) quando se fala de consenso, pela experiência, pelo fato de já ter presidido a Casa, mas, ao mesmo tempo, o consenso hoje não é fácil porque já temos candidato praticamente lançado, que é o senador Tião Viana (PT-AC), que é um bom candidato. A partir daí consenso tem que girar em torno desse nome. E é isso que está acontecendo agora. Ele está com o nome exposto para um consenso - disse.