PF: imóvel de classe média era usado por traficantes no ES

Portal Terra

VITÓRIA - Depois de 20 dias de investigação, a Polícia Federal do Espírito Santo desmantelou um suposto laboratório de beneficiamento de cocaína em um apartamento localizado em Jardim da Penha, bairro de classe média de Vitória. Dois homens utilizariam o imóvel, alugado, para o tráfico de entorpecentes.

No local, agentes da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE), da Superintendência Regional da Polícia Federal (PF) do Estado teriam encontrado aproximadamente 12 kg de pasta-base de cocaína e material destinado à produção, beneficiamento e comercialização de drogas, como ácido bórico, éter sulfúrico, duas balanças de precisão, prensa mecânica e um liquidificador, além de outros materiais.

O Superintendente Regional da PF no ES, Tadeu Moura, contou que a droga era vendida em festas e boates na Grande Vitória para jovens de classe média e chamou a atenção para um outro "produto" desenvolvido pelos dois presos.

"Os traficantes também desenvolveram o "kit boca".O kit trazia cocaína e ácido bórico, produto químico que misturado à cocaína aumenta o volume da droga para ser vendida no varejo. A PF está atenta a essa mudança no comportamento dos traficantes que agora não se limitam à periferia. Agora laboratórios de refino de droga estão sendo localizados em bairros considerados nobres. Por isso, é fundamental que os pais também estejam cada vez mais atentos", explicou o delegado.

Os dois homens presos, que não tiveram os nomes divulgados, são naturais da capital capixaba. Na casa dos detidos os policiais também teriam apreendido um automóvel Celta e um Corsa, além de duas pistolas. Os dois foram encaminhados à sede da Polícia Federal em São Torquato, em Vila Velha, onde foram autuados por tráfico de entorpecentes e associação para o tráfico.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais