PF afirma que Valério tentou forjar inquérito

Portal Terra

SÃO PAULO - Interceptações telefônicas feitas pela Polícia Federal durante a Operação Avalanche, que prendeu o publicitário Marcos Valério Fernandes de Sousa no último dia 10, confirmam, segundo a PF, que ele estaria negociando a abertura de um inquérito falso que prejudicasse dois fiscais da Fazenda paulista. A informação é do jornal Folha de S.Paulo.

Valério foi um dos 17 presos na operação. Ele é suspeito de ter montando um esquema para desmoralizar dois fiscais que teriam autuado a Cervejaria Petrópolis em R$ 104 milhões. Para a PF, o publicitário foi contratado pela empresa para criar fatos que desmoralizassem os agentes.

O empresário, que é réu no processo do mensalão, nega as acusações e diz que foi contratado pela cervejaria para ajudá-la a encontrar um terreno em Belo Horizonte. Valério disse que indicou à empresa o advogado Ildeu Pereira Sobrinho, que poderia ajudar. Para a PF, no entanto, Valério 'encomendou' o inquérito, auxiliado pelo advogado Pereira e pela sócia dele, Eloá Velloso.

Segundo o jornal, nas conversas interceptadas pela PF, Marcos Valério e Pereira falam, em 13 de junho, sobre os 'convites' que "estavam para sair". A polícia acredita que a palavra 'convite' significa a intimação dos dois fiscais. Ainda conforme a Folha, o advogado de Marcos Valério, Marcelo Leonardo, disse ontem que "frases interpretadas fora do contexto sempre são infelizes".

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais