Seqüestro: dirigente do São Paulo tentará negociação

JB Online

SÃO PAULO - O superintendente de futebol do São Paulo, Marco Aurélio Cunha, viaja de helicóptero para Santo André com seu advogado para ajudar na negociação do seqüestro da adolescente Heloá, 15 anos, feita refém desde as 13h30 de segunda-feira pelo ex-namorado. Lindembergue Fernandes Alves, 22 anos, pendurou uma camiseta do time paulistano na janela do apartamento.

A informação do deslocamento de Cunha para Santo André foi confirmada pela assessoria do clube. O superintendente de futebol do São Paulo foi eleito vereador da capital paulista com 38.421 votos. Às 14h50, dois advogados do clube chegaram ao local.

Os advogados do São Paulo contaram que a ideia de ajudarem nas negociações partiu do presidente do clube, Juvenal Juvêncio, quando ele assistia notícias sobre o seqüestro na televisão e viu Lindembergue colocar a camiseta do time na janela. Eles afirmaram que entraram em contato com o comando da polícia para saber se poderiam interceder.

Lindembergue chegou ao apartamento, na segunda-feira, quando a ex-namorada estava acompanhada de uma amiga e dois colegas de escola. Eles fariam um trabalho para aula. Todos foram rendidos. Ele libertou a amiga, Nayara, 15 anos, na noite de ontem. Os outros dois adolescentes foram libertados na segunda-feira. O seqüestro teria sido motivado pela recusa de Heloá de reatar o namoro.

Nesta quinta-feira, Nayara voltou ao apartamento por volta das 9h e, às 14h45, continuava no local.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais