Funcionários da Fiocruz fazem paralisação de 24 horas

Agência Brasil

RIO - Funcionários da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em Manguinhos, Zona Norte do Rio, paralisaram as atividades por 24 horas, nesta quinta-feira, também nas demais unidades em Recife, Salvador, Belo Horizonte, Brasília e Manaus.

Os trabalhadores reivindicam o pagamento de retroativos e o repasse imediato de novos recursos ao Fio-Saúde, o plano de saúde dos servidores, que, segundo a assessoria, passa por crise financeira e prejudica o atendimento nos laboratórios e unidades hospitalares.

Segundo Rogério Lannes, presidente do Sindicato Nacional da Fundação Oswaldo Cruz, o protesto não tem como objetivo dar início a uma greve, mas chamar a atenção do governo para os problemas da fundação.

- o é da nossa tradição paralisação longa, o nosso compromisso com a população é a essência do nosso trabalho. Quando a gente pára por um dia é porque temos a consciência de que o nosso trabalho é muito importante -firmou Rogério Lannes.

Durante a paralisação só funcionarão, em regime de plantão, os serviços considerados essenciais, como as linhas de produção de vacinas e os hospitais.

Essa é a segunda vez neste ano que os funcionários da Fiocruz fazem uma paralisação de 24 horas. Em agosto, os servidores também pararam suas atividades e fizeram uma passeata na Avenida Rio Branco, no Centro do Rio.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais