Brasileira atropelada encontra mãe em Dublin

Portal Terra

DUBLIN - A estudante Aline Nogueira de Barros, 26 anos, recebeu a mãe, Sylvia Nogueira, 59 anos, no aeroporto de Dublin, na Irlanda. Elas não se viam há mais de um ano. A jovem ficou paraplégica após sofrer um acidente de trânsito na cidade.

Sylvia, que é professora aposentada, tem problemas de saúde e financeiros e só agora, mais de dois meses depois do atropelamento, conseguiu viajar para cuidar da filha. Os amigos de Aline arrecadaram dinheiro por meio de campanhas para pagar a passagem e a estadia de Sylvia. Os remédios que ela recebia do governo em Varginha, no sul de Minas Gerais, foram adiantados em dois meses.

A mãe de Aline vai ficar hospedada próxima à clínica de reabilitação onde a jovem está internada para fazer fisioterapia intensiva. De acordo com os médicos irlandeses, a estudante não deve voltar a andar. Mas Aline acredita que pode recuperar os movimentos e agora, com a mãe por perto, a confiança aumentou.

- Eu vou mostrar pra todo mundo que eu vou voltar a andar. A chegada da minha mãe me deu ainda mais certeza disso, disse.

Acidente

Na manhã do dia 22 de julho, Aline seguia para o trabalho de bicicleta quando foi atropelada por um caminhão. O motorista fugiu, mas foi localizado pela polícia. Ele e a empresa dona do veículo estão sendo processados.

A estudante foi operada e passou quase dois meses em um hospital público de Dublin, até ser transferida para o centro de reabilitação, no último dia 18. O caso teve repercussão na Irlanda. Jornais, colégios e até políticos se solidarizaram e fizeram campanhas com o objetivo de arrecadar fundos para o tratamento.

A jovem deve ficar cerca de dois meses na clínica para aprender a levar uma vida independente usando a cadeira de rodas.